12/06/07

A Certeza da Incerteza


Permiti que pense…
Terminam hoje as aulas de mais um ano. O sexto como seminarista, e quinto neste curso de Teologia…
No entanto vejo e observo seminaristas que com menos um ano (ou mesmo dois) de estudos, que frequentam este mesmo (suposto) curso têm já com um grau académico a mais…
Duvidar permite ao Homem avançar? Certamente que sim, mas quando? Podemos e somos livres de pensar. Será assim que é em democracia? E entre alunos de Teologia?
Mas pensar, faz bem àqueles que pensam… porque se alguns pensassem, ou pelo menos pensassem que outros também pensam, e porque pensam que podem pensar naquilo que antes de mais, é e deve ser causa do seu pensar, pensavam que deve o seu pensar ser pensado com o pensar do outro e para o outro.
Muito me agrada que alguns, numa situação comum pensem. Pensam eles e pensam com os outros, para os outros e por isso antes de mais partilham.
Todos queremos que o ensino da Teologia seja sinal de comunhão entre aqueles que caminham neste sentido.
Longe de pensar que a comunhão signifique alguma submissão de ideias àquilo que será o interesse de alguns. Comunhão está longe de ser o pensar do outro, sem o outro, ou memo sem o Eu, ou mesmo para uma castração de estruturas que estão na base e foram criadas para tal (e ao serviço da comunhão). Estruturas que estão mais perto de onde e daqueles onde vamos ser chamados a ser comunhão e por isso podem-na melhor perscrutar, sentir e viver. Mas termino este apontamento, pensando que alunos também pensam, o corpo docente também (e não é menor em nada do que alguns - como alguns nos querem fazer pensar, porque pensam que nós não pensamos). Se temos convicções, que acreditamos serem a melhor solução para a formar Pastores, não basta dizer: Lisboa o caminho mais correcto é este, mas faça-se a tua vontade e não a minha.

6 comentários:

Il Consiglieri disse...

n sabia q pensavas??
lool
tou a brincar... :)

Il Consiglieri disse...

fico à espera dum comentario teu!!!

Júlio da Costa Gomes disse...

Penso logo existo! lol abraço e bom retiro

Rafael disse...

Tu tb pensas?!
Lisboa? Porque é que pensas em Lisboa?
Ab

Luis disse...

Pensar. Esse infintito de verbo que nos torna homens racionais. N entanto apesar de custar tão pouco, hoje vive-se sem pensar realmente na essência. Fica-se na supeficialidade.....Tu resiste......resiste......reza...

rui disse...

alguns pensamentos interessantes...